domingo, dezembro 07, 2008

Queimem os livros, eles são inúteis

Passei na nova Livraria Cultura, entrando lá fui direto para a seção de computação, que por sinal é menos completa que da filial da Paulista. Na estante da frente ficam os livros de ciências exatas, onde estava um casal jovem, o rapaz dizia o título dos livros com um tom sarcástico para impressionar de alguma forma a namorada, que logo em seguida pegou um livro de lógica matemática. Abrindo um parênteses, a lógica matemática é uma área fascinante que estuda os fundamentos da matemática para se certificar de sua coerência, conseqüentemente, como a matemática é a base do mundo moderno, se esta assegurando a consistência do mundo em que vivemos. Após olhar brevemente o livro a garota diz de uma maneira enjoada "Que livro chato".

segunda-feira, novembro 17, 2008

Nunca compre nada da Samsung

Comprei o T220 no site da Americanas, e após 3 semanas a imagem
começou a sumir aleatoriamente, o problema foi piorando até o monitor
se tornar inutilizável. Liguei para o suporte da Samsung e a única
coisa que o funcionário dizia era que eu não havia instalado o driver.
O funcionário era obviamente despreparado pois monitores não precisam
de driver, principalmente os de LCD, e somente para conferir eu peguei
o CD que vem com o monitor, e obviamente não havia nenhum, somente o
manual e alguns programinhas que não são necessários para o funcionamento do monitor.

O telefone de suporte da Samgung é um ante-suporte, eles não tem a mínima intenção de te ajudar, querem somente se livrar de você o mais rápido possível, mesmo que para isso te dêem informações erradas.


domingo, outubro 26, 2008

QT e KDE 4

A última versão da Qt esta muito boa, finalmente as aplicações feitas com esta widget tem uma boa aparência, basta ver as últimas versões do VirtualBox e do VLC no linux. Porém, o KDE 4 esta completamente inutilizável.

sábado, outubro 25, 2008

Law & Order versus Dumb & Dumber

Neste artigo um policial de Washington comenta sobre um caso de assassinato para a qual o suspeito confessou o crime (até o advogado acreditava que ele era culpado), mas os policiais acharam provas irrefutáveis da inocência dele.

Aparentemente as pessoas confessam crimes por diversos motivos idiotas.

sexta-feira, outubro 24, 2008

Seduction of Scala

quinta-feira, outubro 23, 2008


Copiado do blog lispy. Gostei em especial da comparação dos puritanos com os comunistas e do motivo dos judeus serem inteligentes.

Lisp50 Notes part I: JohnL Recalls How Sussman Revealed the Nature of Intelligence…

This was a totally different crowd than what I saw at the DSM workshop. There were lots more Americans here. You had a mix of bearded Lisp Hackers, a few not-yet-middle-aged guys who were running significant projects, and then some younger guys that were either still in college or were not out for very long.

To understand the conference, you’ve got to understand the backdrop. I’d just sat through a day of presentations that were mostly focused on Java, Eclipse, and UML diagrams. The “last word” of the day was from a Small Talk programmer who said that the competing tools in his area of work had not improved upon the solutions that he’d had 15 years ago or so. Educators attending the symposium were talking over lunch about how they couldn’t find good examples for applying some of the concepts they were teaching. Anybody I met, I would say to them: “I can’t believe I’m going to see John McCarthy and Alan Kay tomorrow!” This didn’t mean anything really to most people I tried to chat with. Collectively, the net effect of the preceding day was to produce a mild sensation of frustration, disappointment, and alienation.

I was nearly late for the opening session of Lisp50. I rushed in just barely in the nick of time… only to find that Lisp50 was starting ten minutes late or so. There was no posting of the schedule anywhere that I saw while the workshop I was in the previous day had a copy of the schedule at every seat and even a booklet of all the papers to be presented. Add to this the fact that many of the Lisp speakers had some sort of trouble with their Power Point slide and that there was no slot on the schedule for a break for an evening meal… and it just appeared that collectively the Lisp community was doing everything it could to meet its own stereotypical expectations!

So the first “talk” was Guy Steel and Richard Gabriel re-enacting a talk they gave back in 1993. This was amusing in places– the audience laughed in most of the same places as the 1993 audience did– but it was a little frustrating. I mean, we have Steel and Gabriel on stage… and they’re reading. I want to know what they have to say about right now. I want them to preach to the choir. I want them explain how to finally win the “language wars” and why it matters. Something. Anything! Instead we get a play by play of how Lisp communities evolved and coagulated in the seventies and eighties. The net effect of this was to leave the impression that we’re reduced to the significance level of, say, a confederate civil-war reenactor. The battle is over. We lost. There’s nothing left but pin down the final details of the history of our side so we can bury it all. Yes, that’s it… that’s is exactly. I felt like I was at a funeral! This “talk” set a tone that our proceedings were going to be more about nostalgia than anything else. (I’m not saying this wasn’t interesting… I’m just talking about the tone here given the context. Maybe I was the only one the felt this way, but I think the general pulse of the crowd was mildly uncomfortable because of these sorts of unspoken memes floating around in our collective unconsciousness.)

JohnL White was the next speaker. I simply cannot do justice to what he said and what he represents. Suffice it to say, if all you know about Lisp is some stuff you read in a Paul Graham essay and a few textbooks here and there… then you really don’t know anything. This man has a tremendous intellect… and has had a hand in nearly everything as far as Lisp is concerned. (Did I see that right on the slide of specific language contributions that he was responsible for defun? I wish I had that slide….) Fifty years from now, I’m going to be telling people, “I saw JohnL at the Lisp50 conference.” I cannot do justice to this guy’s presentation, so here’s just a few tidbits:

* He used several Alan Perlis quotes to set the tone. These were all great quotes; the same ones from SICP that inspire me so much. JohnL really misses Perlis.

* He mentioned something about dealing with the archetypal “bipolar Lisp programmer” types on the job and exclaimed, “how can you supervise a Lisp guy?! You just take what he does…!”

* JohnL was responsible for hiring Stallman at the MIT AI Lab. Stallman has contested this and claimed that some random administrator was responsible. JohnL explained that the administrator’s don’t decide anything– the way you get in is by making friends with someone in the lab.

* JohnL encouraged us all to go to the International Lisp conference. “Lisp is the back forty for a lot of people,” he said. (That is, you do whatever you need to do when you work for the master, but if the work is for yourself, a lot of people tend to do it in Lisp.)

JohnL spoke about growing up in the Ozarks. He talked about how his parents influenced him intellectually and genetically. He talked about how racist everyone was there and how he took the slurs personally somehow…. He talked about how he ended hanging out with Jews and how he sort of became, as it were, an “honorary Jew” because they figured if he was so smart, he must be a Jew, too. (I’m trying not to mangle this too badly.) So Sussman asks him one day, “Why are Jews so smart?” Now, JohnL was pained at recounting the answer he gave. He confessed to having picked up on some the racism that was endemic to the Ozarks. “Uh… must be their genes,” he’d said back then. Sussman was very irritated at this answer. “WRONG,” he said, “it’s the LAW!”

I have no idea how many people “got” this. JohnL wasn’t too sure either. The default assumption is that we’re all rabid libertarians and atheists, I suppose. JohnL explained that Sussman was referring to the Torah… the Jewish scriptures. Sussman argued that because Jewish fathers are required to teach their children how to read and write– so they could understand the Law– that this somehow gave them a fantastic intellectual foundation. JohnL referred to a talk that Sussman gave somewhere– it was extemporaneous, but better than most prepared talks. (I want to see this talk if anyone finds a recording!) JohnL was totally blown away by this talk… the best thing he’d ever heard. But in it, Sussman argued that intelligence was transmittable and improvable. Somehow, if you can (legitimately) learn more words, you expand your ability to think. This tied into symbolic thinking being about giving names to things. (This reminds me of that strange story in Genesis about Adam naming the animals in the garden of Eden.) Sussman said, “great ideas can be understood by an ordinary person.”

(That’s a very encouraging thought. I suppose there’s hope even for us “average developers.” This is all the more reason to continue learning a new programming language every year or so. It kind of gives one a little more respect for all of those among the USA’s founding fathers that could read and write Latin, Greek, and Hebrew….)

JohnL had spoken earlier about how he’d gotten a great prep-school type education even though he grew up out in the middle of nowhere in the Ozarks. Farming and industry were all dead there, but… they still had this heritage of education. JohnL pointed out how, for us Americans, this traces back to the Puritans. The fundamental concept of our form of government is that man’s government cannot work. That’s why you have all of those checks and balances– those Puritan-types did not trust man to get things right! (Note to self: compare and contrast this with socialism sometime. Try not to use the word “hubris” gratuitously.) Our education was meant to provide a check on our untrustworthy governmental institutions– but just look at how things are developing in, say, the California public schools. Things do not look good; we’ve lost something….

That’s the gist of JohnL’s talk based just on my hasty and imperfect notes. (That last “tidbit” sort of raged out of control there….) Please feel free to post corrections and clarifications if you feel they are required. I didn’t get the feel that he was a raving evangelical or anything, but I was surprised by the philosophical bent to his talk. But what do you expect from a guy that cuts off his tie with a pair of pruning shears…!

segunda-feira, outubro 06, 2008


>Java 1.6 for OS x!!!!!


User Interface

Procreation is the ultimate user interface, because every idiot can do it.

terça-feira, agosto 19, 2008

Cu tem acento

Cu não tem acento!!!!

Eu sempre achei que cu tinha acento. A língua portuguesa é cheia de surpresas.

quarta-feira, agosto 13, 2008

About USP;

Olhem a página institucional sobre a USP no site da universidade.

Reparem na foto que eles escolheram (reproduzida acima). O relógio esta parecendo a obra de alguma civilização pré-colombiana, junto com o monte de mato da a impressão que a USP fica no meio de Machu Picchu. Porra, podiam mostrar alguma coisa que indicasse existir uma civilização tecnológica.

quinta-feira, agosto 07, 2008

General critica governo e PT antes de debate

Na Folha online:

"General critica governo e PT antes de debate
07 de Agosto de 2008

O presidente do Clube Militar, general Gilberto Figueiredo, criticou duramente o ministro da Justiça, Tarso Genro, na quarta-feira, véspera de um debate da entidade sobre a Lei de Anistia. Na semana passada, Tarso contestou a lei, dizendo que os agentes de segurança do estado que praticaram torturas e assassinatos durante o regime militar (1964-1985) devem responder a processos como criminosos comuns.

De acordo com Figueiredo, Tarso provocou um debate "débil" com suas propostas referentes aos militares. Se o ministro "faz questão de lamber feridas", disse o general, o governo deveria deixar de lado "as que já estão em processo de cicatrização" e voltar-se "para algumas mais recentes, ainda à espera de esclarecimento". A referência foi a casos como o assassinato do petista Celso Daniel e o escândalo do mensalão.

Figueiredo lembrou ainda dos "indícios de ligações de membros da cúpula governamental com as Farc". Segundo ele, essas "feridas" foram "blindadas pelo governo", mas deveriam ser discutidas publicamente. Figueiredo disse ainda que "há uma estranha afeição dos companheiros do ministro com o seqüestro e os seqüestradores, um dos crimes mais infames, ao lado da tortura que o ministro tanto abomina".

O general lembrou ainda do assassinato de um marinheiro inglês de 19 anos metralhado no Rio de Janeiro por terroristas em 1972. "Segundo tal critério, qual dos crimes praticados pelo outro lado seria político? Talvez o do companheiro de ideologia do ministro que assassinou friamente um marinheiro inglês, recentemente desembarcado na Praça Mauá, apenas porque era um representante do capitalismo burguês."

De acordo com reportagem publicada nesta quinta-feira pelo jornal O Estado de S. Paulo, o general também reclamou do "extraordinário empenho de altos membros do partido do ministro no sentido de liberar os seqüestradores do empresário Abílio Diniz". Segundo o militar, o seqüestro é um dos meios usados pelas Farc para obter dinheiro para sua sobrevivência, e há "suspeita de ligações estreitas" com petistas."

terça-feira, agosto 05, 2008

Sociedade da Terra Plana

Li uma matéria interessante sobre as pessoas que acreditam que a terra é chata:

O nível de bobagens descrito pelo texto é impressionante, e nos faz rir a beça. Porém, no fim tem uma nota triste sobre o destino de Charles Johnson, o fundados da Flat Earth Society. No fim ele não passava de uma pessoa que para fugir dos seus problemas começou acreditar em alguma maluquice. Realmente algo tragicômico.

segunda-feira, agosto 04, 2008

O que é isso companheiro

A luta armada contra a Ditadura no Brasil conseguiu, além de matar pessoas, produzir uma grande quantidade de obras de péssima qualidade, principalmente em filmes. Tem um com o Antonio Fagundes que é uma imbecilidade, o cara é um caminhoneiro que em dado momento do filme começa a falar que nem sociólogo da USP. Tem também o filme sobre o sequestro do embaixador Americano, eu nunca assisti esse filme inteiro, mas só o fato deles terem colocado o Augostinho para fazer o Gabeira me fez desconfiar do filme.

Acho que melhor obra sobre a guerrilha é "O que é isso Companheiro" do Língua de Trapo:

"Nois dois vivia intocado e clandestino
Nosso destino era fundo de quintar
Desconfiavam que nois era comunista
Ou terrorista, de manchete de jornar
Nois aluguemo casa na periferia
No mesmo dia, se mudemo para lá.
Levando uma big de uma metralhadora
Que a genitora se benzia ao oiá.

Nois pranejemo de primeiro um assarto
Com mãos ao arto, todo mundo pro banheiro
Nois ria de pensar na cara do gerente.
Oiando a gente, conferindo o dinheiro.
Mas o tal banco acabô saindo ileso
E fumo preso, jurando ser inocente.
Nois não sabia que furtar de madrugada.
Era mancada pois não tem expediente.

Despois de um ano apertado numa cela.
O sentinela veio e anunciou:
"O delegado pergunto se ocês topa
Ir prás oropa, a troco de um embaixador".
Na mesma hora arrumemo passaporte
Pois com a sorte não se brinca duas vez.
E os passaporte que demos no aeroporto,
Era de um morto e de um lord finlandês.

E quando veio aquela tar de anistia
Nem mais um dia fiquemo no exterior
E hoje já fazendo parte da história
Vendendo memória, hoje nois é escritor."

quinta-feira, julho 17, 2008

A adoração a matadores de crianças


"POR DOIS longos anos, as famílias dos soldados israelenses da reserva Eldad Regev e Ehud Goldwasser aguardaram notícias com grande agonia. Por dois anos, questionaram se seus filhos estavam vivos ou mortos e conviveram com o fato de que, embora o sangue tivesse sido encontrado no local do seqüestro, não havia certeza de que seus amados tinham recebido tratamento médico.
Essa é a forma mais cruel de tortura que o Hizbollah deliberadamente infligiu às famílias. O povo de Israel também aguardou notícias, demonstrando grande consternação com o sofrimento dessas famílias, e todo israelense sabe que era apenas uma questão de azar o seqüestro desses dois soldados em particular e que isso poderia ter acontecido com um familiar ou amigo. Eles foram seqüestrados em 12/7/2006. Patrulhavam uma cerca próxima à fronteira quando o Hizbollah lançou um ataque através da fronteira visando seqüestrar qualquer cidadão israelense.
Os israelenses também têm sua parcela de responsabilidade por Eldad e Ehud. Um dos valores mais importantes de Israel é o cuidado com os jovens que arriscam suas vidas para defender a população civil.
Esse princípio está arraigado na cultura israelense, emanando de nosso senso de moralidade e solidariedade, assim como de nossa ética judaica. Faz parte de nosso grande respeito pela vida, respeito tão profundo que Israel se prontificou a agir mesmo diante da menor esperança de vida.
Em apoio a esse valor supremo, Israel decidiu pagar um preço caro para o retorno de seus dois filhos. A intransigência do Hizbollah não tem tamanho, recusando-se a entrar em acordo, mesmo ao custo da guerra.
Rejeitar a oferta apenas levaria a mais sofrimento e não ajudaria na obtenção de melhores termos. Israel concordou com a libertação de quatro membros do Hizbollah e do terrorista Samir Kuntar. Para o Hizbollah, Kuntar é um grande herói. Para Israel e o restante do mundo civilizado, é um dos terroristas mais desprezíveis.
Kuntar era membro da OLP (Organização para a Libertação da Palestina), que se infiltrou no norte de Israel pelo mar em 21/4/1979. No calar da noite, invadiram um prédio, capturando Danny Haran e sua filha Anat, de quatro anos de idade, enquanto o resto da família se escondeu.
Quando chegaram ao litoral, Kuntar fez que a pequena Anat o visse dar um tiro à queima-roupa em seu pai e, logo em seguida, matou a menina, esmagando sua cabeça em uma pedra com a coronha do rifle.
Entrementes, a mãe da família, escondida em um armário com a sua filhinha de dois anos, Yael, acidentalmente sufocou a própria filha enquanto tentava abafar o choro dela e evitar que Kuntar as encontrasse. Kuntar também tem responsabilidade por essa morte, bem como pela de um policial, Elyahu Shachar.
Esse é o assassino de crianças que está sendo saudado com ovações e paradas pelo Hizbollah. Esse é o assassino brutal cuja libertação será considerada uma vitória pelos extremistas em toda a região.
Como parte do acordo, o Hizbollah também receberá os corpos dos mortos na Segunda Guerra do Líbano ou em ataques infiltrados em Israel. Entre os mortos estará uma mulher, Dalal al-Maghrabi, que comandou o ataque a Israel que ficou conhecido como massacre da estrada costeira, de 1978. Naquela atrocidade, 37 israelenses perderam a vida. Essa é a assassina cujo corpo terá um funeral de heroína. Essa é a assassina brutal que será a heroína idolatrada pelos membros do Hizbollah.
O Hizbollah é uma organização terrorista extremista patrocinada pelo Irã. Se o passado e o presente forem qualquer indicação do futuro, a organização terrorista continuará a comemorar os assassinos de sangue frio como ídolos de seu "ethos" de violência.
Ela continuará em sua obsessão de destruir Israel e desestabilizar o Líbano -como ocorreu há dois anos, quando o Hizbollah começou uma guerra ao sul do Líbano, em ruidosa desconsideração ao impacto causado na população local.
Que não haja erros: enquanto Israel tem um imperativo moral de trazer seus soldados para casa, rejeita qualquer esforço para legitimar o Hizbollah, seus objetivos e táticas. A comunidade internacional deve reconhecer o perigo representado pelo Hizbollah e seu bando extremista à estabilidade do Oriente Médio e deve apoiar os elementos pragmáticos na região, que desejam fazer a paz por meio do diálogo e do compromisso."

TZIPORA RIMON é embaixadora de Israel no Brasil.

sábado, junho 28, 2008

Reclamar vale a pena.

Após reclamar no site da Sky eu recebi o reembolso dos R$ 5 cobrados indevidamente, um pedido de desculpas e um relógio da HBO de brinde.

O atendimento após foi muito bom, achei uma atitude muito séria da empresa.

quinta-feira, junho 12, 2008

Macacos de auditório

A CAPES e o CNPq são uma espécie de Silvio Santos da pesquisa. Os editais são como o "Quem quer dinheiro?", a verba proap é que nem os aviõezinhos, as bolsas de IC são o topa-ou-não-topa e os projetos de pesquisa são como o qual é a música.

Ah, e a universidade é que nem o auditório.

domingo, junho 08, 2008

Cartinha para a Sky

É impressionante como os serviços de internet, TV a cabo são toscos. Todos eles. Eu tentei sair da NET, na esperança de que a Sky fosse um pouco melhor. Que nada, a mesma merda, no fim a tentativa de trocar de operadora de TV a cabo gerou essa reclamação com a NET:

"Dia 4/6/2008 eu solicitei a assinatura da Sky, o atendente foi muito enfático de que se eu pegasse o plano de R$ 119 reais a instalação ocorreria sem custos.

O técnico veio no meu apartamento no mesmo dia, porém, ele verificou que não seria possível instalar a antena da Sky no prédio. Eu falei para ele por conta disso eu não queria mais a assinatura, e pedi para ele cancelar o pedido, ele me disse que não tinha problema, que ele avisaria para a Sky o pedido de cancelamento.

Dia 8/6/2008 eu liguei para confirmar se o cancelamento havia sido efetuado. Para a minha surpresa não só o cancelamento não havia sido pedido, como havia uma taxa de cadastro de R$ 5,00 a ser debitada no meu cartão de crédito.

Em primeiro lugar é um absurdo cobrar R$ 5,00 para um cadastro, e em segundo lugar, o vendedor tem a obrigação de avisar sobre este taxa, se ele tivesse me informado disso eu não teria feito o pedido de instalação.

Eu reclamar com a atendente (Mayara Silva) e a supervisora dela me foi informado que o vendedor havia agido errado, mas que a taxa não seria devolvida.

A questão é que não é culpa minha que a Sky não treina corretamente os seus vendedores, a empresa não tem nenhum direito de cobrar uma taxa que não foi informada.

É um absurdo uma empresa do tamanho da Sky criar um indisposição com os seus consumidores por uma valor tão pequeno.

Eu pretendo dedicar uma boa parte do meu tempo livre atrás de uma medida para punir o comportamento anti-ético da sky e alertar as pessoas sobre as taxas ocultas que podem surgir ao se fazer um pedido na sky.

Internet, jornais procon, eu vou tomar todas as atitudes cabíveis para corrigir este absurdo."

sábado, junho 07, 2008

Sexo e punição

O embrião é somente uma desculpa, o que as pessoas que são contra o aborto realmente querem é punir a mulher por ter feito sexo. A figura abaixo resume essa ideia:

Fonte: Do they really believe that abortion is murder?

Outro link discutindo essa mesma idéia: How Rapists and Anti-Choicers Punish Women<

Aborto e hipocrisia

Algumas histórias de médicos que realizam abortos nos EUA:

"I've had several cases over the years in which the anti-abortion patient had rationalized in one way or another that her case was the only exception, but the one that really made an impression was the college senior who was the president of her campus Right-to-Life organization, meaning that she had worked very hard in that organization for several years. As I was completing her procedure, I asked what she planned to do about her high office in the RTL organization. Her response was a wide-eyed, 'You're not going to tell them, are you!?' When assured that I was not, she breathed a sigh of relief, explaining how important that position was to her and how she wouldn't want this to interfere with it." (Physician, Texas)

"In 1973, after Roe v. Wade, abortion became legal but had to be performed in a hospital. That of course was changed later. For the first 'legal abortion day' I had scheduled five procedures. While scrubbing between cases, I was accosted by the Chief of the OB/Gyn service. He asked me, 'How many children are you going to kill today?' My response, out of anger, was a familiar vulgar retort. About three months later, this born-again Christian called me to explain that he was against abortion but his daughter was only a junior in high school and was too young to have a baby and he was also afraid that if she did have a baby she would not want to put it up for adoption. I told him he did not need to explain the situation to me. 'All I need to know', I said, 'is that SHE wants an abortion.' Two years later I performed a second abortion on her during her college break. She thanked me and pleaded, 'Please don't tell my dad, he is still anti-abortion.'" (Physician, Washington State)

Fonte: Anti-tales

Segundo estudo realizado em 1981[1] nos EUA, 24% das mulheres que realizaram abortos consideram o procedimento moralmente errado, e 7% das mulheres que abortaram discordam da afirmação: "Qualquer mulher que desejar fazer um aborto deve poder obtê-lo legalmente". Em levantamento realizedo em 1994-95 [2,3], de aproximadamente 10.000 pacientes de aborto mostrou que 18% das mulheres são cristãs ativas, e provavelmente anti-escolhe. O estudo mostra também que as católicas tem uma taxa de abortos 29% maior que as protestantes (os protestantes americanos não se opões ao aborto como a Igreja Católica).

A discussão sobre aborto é absurda porque as pessoas que são contra o aborto tem todo o direito de não o faze-lo, porém, quando a questão deixa de ser com os outros, quando a pessoa tem que decidir se vai criar um ou não uma criança não-desejada mostra-se a hipocrisia dos grupos anti-aborto.

Os argumentos anti-aborto são completamente irracionais, cria-se um dogma de que a vida começa na concepção a partir disto tenta-se transformar uma questão puramente individual em um problema que exige a interferência do estado.

[1]. Henshaw, S.K. and G. Martire. 1982. Abortion and the Public Opinion Polls: 1. Morality and Legality. Family Planning Perspectives. 14:2, pp 53-60, March/April.
[2]. The Alan Guttmacher Institute. 1996. Abortion Common Among All Women, Even Those Thought to Oppose Abortion.
[3]. Henshaw, S.K. and K. Kost. 1996. Abortion Patients in 1994-1995: Characteristics and Contraceptive Use. Family Planning Perspectives. 28:4, July/August.

quinta-feira, maio 29, 2008

A Amazônia é nossa, por isso a gente pode vender para quem quiser

A Amazônia é uma enorme chateação. É cheia de índio, ambientalista, traficante e bandidos. Só da dor de cabeça. Existem recursos naturais no sub solo. E dai? Para ganhar dinheiro é preciso traze-los para a superfície.

A melhor coisa para se fazer é vende-la por uns 100 bilhões de dólares. A unica exigência que o Brasil devia fazer é que não importa quem compre a floresta, o controle deveria ser dado ao estado de Israel. Quem melhor para lidar com os terroristas? Quem mais têm coragem de peitar as ONG's?

Israel tem que tirar os judeus fanáticos do meio da Palestina, podia mandar os caras para a floresta. Eles iam achar o lugar um novo éden e portanto iriam trabalhar para caralho que tentar construir alguma civilização por lá.

quarta-feira, maio 28, 2008

Células Troco: Uma discussão enfadonha

O Reinaldo Azevedo publicou um texto do Ives Gandra

Comento abaixo:

A discussão sobre células troncos no Brasil é deprimente.

Por um lado os religiosos, como o Ives Gandra, tentam construir argumentos técnicos baseados em crenças pessoais. É algo muito enfadonho, puro sofisma, pois se ignora todos os argumentos contrários a tese defendida pela a igreja e se repete ad infinitum argumentos furados, a esperança é conseguir alterar a realidade repetindo pelo discurso. Exemplo de argumentos errados:

1) O desenvolvimento fetal é um processo, o que é verdade para um feto de 8 meses, não é verdade para um de 4 meses e muito menos para um embrião de 1 semana, a diferença esta tão bem estabelecida que se usam nomes diferentes: feto é uma coisa, embrião é outra. Até a Gisele Bunchen consegue perseber essa diferença.

2) Apesar de muitas pesquisas estarem sendo feitas com células tronco adultas, esta bem estabelecido que elas não são equivalentes as células tronco embrionárias. O potencial das células tronco embrionárias só será estbelecido quando elas foram estudadas.

3) Os EUA não proíbem a pesquisa com células tronco!!!!!! O governo Bush, cedendo a pressão da ala mais tacanha dos EUA proibiu o financiamento público de pesquisas com células tronco embrionárias.

Do outro lado a pesquisa científica no Brasil é desorganizada e puverizada de forma que cada cientista é um pequeno feudo. Não existe massa crítica para gerar resultados práticos significantes.

Permitir a pesquisa com células tronco é principalmente um marco civilizatório, pois é uma afirmação da separação entre o estado e a igreja, algo que no Brasil esta muito distante de acontecer.

domingo, maio 25, 2008

Os com ONG e os sem ONG

O indio de celular Paulinho Paikan estuprou e torturou uma garta de 18 anos, mas não passou um mísero dia na cadeia (matéria na veja).

Marc van Roosmalen é um pesquisador reconhecido internacionalmente acusado de biopirataria. Ele já passou 2 meses em uma prisão infecta na amazonia e pode pegar 14 anos (matéria na wired).

A justiça no Brasil se divide nos com ONG e nos sem ONG, quem tem uma ONG pode roubar, matar e estuprar sem medo.

quarta-feira, maio 21, 2008

Misogenia no Brasil

Existe ONG para tudo: Índio, preto, criança abandona, criança não abandonada, drogado, preso, traficante, etc. É impressionante como acontecem coisas completamente absurdas e ningué fala nada. Vejam esse trecho sobre o estupro cometido pelo bom selvagem Paulilho Paikan em 1992:

"Agraciado com algumas das condecorações mais cobiçadas pelos ecologistas internacionais - como o Prêmio Global 500 da ONU e o diploma da Sociedade Por Um Mundo Melhor, de Washington - Paulinho Paiakan, cacique da aldeia Aukre dos índios caiapós no sul do Pará, era o símbolo da reserva ética que as matas tropicais esconderiam, um tesouro mais valorizado ainda que seus estoques de plantas e animais. Entre seus admiradores estão o ex-presidente americano Jimmy Carter, o príncipe Charles e o cineasta Ridley Scott, diretor de Alien, o Oitavo Passageiro e Blade Runner, que quer fazer um filme sobre sua vida. Graças aos bons negócios que faz com os produtos de sua tribo, era também um índio de muitas posses, dono de carros, aviões e terras. Com esse currículo, Paiakan fugiu da ECO 92, encontro do qual era uma das presenças mais aguardadas. Em vez de ir à conferência, embrenhou-se nas matas do sul do Pará para escapar da polícia, que o caçava. Ele é acusado de um crime catalogado como hediondo na lei brasileira - o estupro, acompanhado de tortura e tentativa de homicídio, da estudante Silvia Letícia da Luz Ferreira, de 18 anos, filha de agricultores de Redenção, cidade de 150.000 habitantes, 750 quilômetros ao sul de Belém. Letícia foi levada à delegacia da cidade pelo pai e os irmãos. Tinha feridas espalhadas pelo corpo inteiro, sinais de espancamento no rosto, o bico de um seio dilacerado a dentadas. O estado lamentável resultava de uma sessão de tortura que durou uma hora num trecho deserto de uma estrada de terra. O cacique a estuprou com ajuda da própria mulher, Irekran, e na frente da filha mais velha, Maial, de 5 anos."

Texto completo aqui.

O pulha não passou um dia na cadeia: Funai, ONGs, e o caralho a quatro defenderam o direito cultural do índio de estuprar e torturar. Ninguém se pronuncia a favor da garota. A defesa dos direitos das mulheres é uma bandeira de todas as esquerdas do mundo, menos no Brazil.

Aqui violência contra a mulher é valor cultural, basta ver as letras dos RAP. Em ambos os casos a misogenia tem amplo apoio dos intiliquituais das universidades, da Igreja Católica e dos progressitas de esquerda.

segunda-feira, maio 12, 2008

segunda-feira, maio 05, 2008

Google Bookmarklets

Eu achei estes bookmarklets para o google bookmark e o google reader à algum tempo, porém não encontro mais a página original deles, por isso os estou colocando na minha página.

Arraste os link para a barra de endereços e click neles quando quiser

Subscrever uma página com feed no google reader: Subscribe

Adicionar uma página no google bookmarks: Bookmark!

domingo, abril 27, 2008

Lisp na Web e elephant

Eis aqui um ótimo tutorial sobre lisp na web:

Gerar as páginas utilizando o cl-who é bico, o próprio hunchentoot é extremamente simples. O único problema que estou tendo é para fazer a persistencia dos dados com o elephant. Primeiro eu descobri um bug no SBCL, ao tentanr compilar o elephant ocorre o seguinte erro:

no :MOVE-ARG VOP defined to move # (SC SB-VM::SINGLE-REG)
to # (SC SB-VM::ANY-REG)

Após um downgrade para o SBCL 1.0.16 estou tendo um problema memory fault na função %db-env-create.

É o problema de sair do mundo puro da administração automática de memória e ter que sujar as mãos no baixo nível.

segunda-feira, abril 21, 2008


Smallville é um seriado que trata de um alienígena red neck que não pode revelar a sua homosexualidade devido ao preconceito das pessoas do Kansas.

segunda-feira, janeiro 28, 2008

Igreja, AIDS e camisinha.

Não é possível envolver a igreja na discussão sobre AIDS, camisinha e virgindade pois a opnião dela é religiosa e não racional.

Como discutir contra o argumento de que um feto possui alma?

A igreja pode falar o que quiser para os seus fiéis, mas discussões de saúde pública devem ser baseadas em argumentos racionais, pois é única forma de atingir todas as pessoas, independentemente da religião de
cada um.

Quando a igreja intervém no ministério de saúde é igual quando ela resolve impedir a transposicão do São Francisco, ou quando tenta eleger candidatos do PT.